quinta-feira, 6 de janeiro de 2011

Bocariny

Ora a simpática leitora Storyteller sugeriu-me há um par de semanas que me debruçasse sobre o Surrealismo. Preferia que ela me tivesse sugerido um par de mamas debruçado sobre o realismo, mas pronto. Não se pode ter tudo. É que o Patife, já se sabe, não percebe nada de Surrealismo pois sempre se virou mais para o Movimento CuRealista. É mais realista e tem mais cus. O Surrealismo é muito abstracto. Já o CuRealismo é assim uma coisa mais apalpável, vá. Mas o Patife está habituado a agradar a gregas e a sacanas por isso foi para a biblioteca pesquisar. Na verdade até precisava de um pretexto para lá ir a ver se apanhava a nova bibliotecária. Não apanhei, por isso investiguei. E depressa cheguei à conclusão que se o Bocage e o Cesariny fossem um só teriam certamente criado coisinhas poéticas lindas assim:

Em todas as ruas te monto

Em todas as ruas te monto
Em todas as ruas te espeto
conheço tão bem o teu corpo
sonhei tanto a tua fissura
que é de pau feito que eu ando
para te mostrar a dita dura
e lambo a mágoa com o nabo a dar
que te atravessa até à loucura
tanto, tão perto, tão real
que nem acreditas na envergadura
que toca no teu próprio elemento
num corpo que já não é teu
num orgasmo que reapareceu
onde o nabo meu te fura

Em todas as ruas te monto
Em todas as ruas te espeto

45 comentários:

Sol disse...

F*, até me fazes falar mal.
GRANDE PATIFE, Grande Poeta.
Continua assim.

Uma Rapariga Simples disse...

Há muito que perdi a capacidade de emitir juízos sobre estas postagens, sério, a minha imaginação não vai tão longe. o.O

Patife disse...

Sol:
Falar mal é uma coisa boa. Aliás: falar mal e escrever bem pode ser das coisas mais bonitas deste mundo. Logo após o Pacheco. ;)

Uma Rapariga Simples:
Vai sempre mais longe do que nós pensamos. Um dia também pensava que o Pacheco não ia tão longe que ultrapassasse o meu queixo e passou. ;)

Uma Rapariga Simples disse...

O queixo?
Por acaso não tens um tronco subdesenvolvido?

S* disse...

Que poema bonito... desses gosto eu de ler. ahahah

Mas quem raio que escrevas sobre surrealismo? Sexo é mais mais giro.

Patife disse...

Uma Rapariga Simples:
Ahahahahah. Nada disso. Tenho é o queixo muito proeminente, como mos famosos irmãos Dalton, e estava curvado, sendo que tenho grande elasticidade. Uma pequenina batota para poder dizer, sem mentir, que o Pacheco me chega ao queixo. ;)

S*:
O Patife como acha que o sexo é uma forma de arte e se considera um artista do pinanço até nem se importa de promover a interdisciplinaridade artística. ;)

Uma Rapariga Simples disse...

LOLOL
Desde que não tenhas vontade de imitar o Marilyn Manson, por mim até podias ter um queixo como o Cavaco. :D

VM disse...

muito chá de cabinda andamos a beber... que isso quando bate, tanto lhe dá que até lhe fura!

=D

Stiletto disse...

e é pinar assim perdidamente...

fantástico!!!

Patife disse...

Uma Rapariga Simples:
O Patife é um senhor que não se auto-abocanha. E o queixo do Cavaco é maior. O mesmo não se poderá certamente dizer do nabo. ;)

VM:
Qual cabinda, é genético! Mas lá que fura, fura. ;)

Stiletto:
"Fantástico" é expressão que entra no Top 3 dos adjectivos mais proferidos logo após pinarem com o Patife. ;)

Uma Rapariga Simples disse...

Este comentário não é para publicar, pode ser?

Bem, a verdade é que a personagem Patife me deixa bastante curiosa.
Ok, ok, não sou a primeira nem serei a última a escrever isto mas é verdade. E nem é curiosidade física, é mais mental, intelectual, por aí... juro que não lhe quero ver o nabo, até porque já bastou ter ficado horas com a mão a arder por ter ido apanhar nabiças ao quintal e ter enfrentado as urtigas furiosas.

Despeço-me com amizade,
URS.

Patife disse...

Uma Rapariga Simples:
Uma mulher habituada a apanhar nabiças no quintal é assim uma coisa de meter respeito manual. A prática com nabiças opera milagres e isso é coisa que agrada ao Patife. Sois demasiado gentil com o Patife. ;)

Uma Rapariga Simples disse...

Publicaste o comentário. o.O

Storyteller disse...

:D eu não acredito que me fizeste mesmo a vontade.. que querido caro Patife..
És um cavalheiro DOTADO de uma criatividade imensa!
Está genial!

Um beijinho enorme
NicoleDominguez

Patife disse...

Uma Rapariga Simples:
Foi a menina que o publicou. O Patife não censura nada do que aqui se escreve. Entra tudo directamente (interessante) sem necessidade de aprovação do Patife. O Patife é anti-censura e gosta de espaços abertos (ainda mais interessante). ;)

Storyteller:
Pedidos sobre movimentos artísticos é coisa impossível de negar. Nem imaginas quantos movimentos artísticos o Patife consegue fazer na cama. ;)

Uma Rapariga Simples disse...

Ah, pois fui! LOOL
Sou tão totó. :D

Eu não censuro, eu oriento-me, caso contrário perdia o norte à terra e o amor ao rapaz! (o original diz rapariga mas eu cá gosto muito de gajos, homens com O, a cheirar a cavalo e que escarrem para o chão.)

Anónimo disse...

AHAHAHHAH!! Muito bom!

Patife disse...

Uma Rapariga Simples:
Gosto de totós. São as que fazem os melhores bobós. (Desculpe lá o mau jeito mas hoje acordei virado para a poesia rimada). ;)

P.s: Os melhores gajos deixam o O grande mesmo. ;)

Anónimo:
"Muito bom" também entra no TOP 3 das coisas mais ouvidas após a pinada do Patife. ;)

i s a b e l disse...

Diria mesmo que esta "coisinha poética" "toca" à Marquês de Sade... :)
Cumprimentos

Desejo Evidente disse...

A tua versão Currealista tem bem mais encanto...

Patife disse...

i s a b e l:
O Patife tem uma costela de Marquês de Sade. Já aqui o Pacheco também é conhecido como o Marquês de Sabre. ;)

Desejo Evidente:
Um cu realista tem sempre mais encanto que uma surreal lista. ;)

→ Calipso disse...

És uma inspiracao xuxu :p

desejo disse...

Em todas as ruas tu montas
Em todas as ruas tu esperas
Conheces tão bem o seu corpo
Sonhaste tanto com a ferssura
E lambes a mágoa com o nabo a dar
Que lhe atravessa até à loucura
Tanto, tão perto, tão real
Que ela nem acredita na verga tão dura
Que toca em sua pachachinha
Num corpo que jamais será teu
Num orgasmo que se fodeu
Onde o nabo teu se perdeu.

Em todas as ruas a montas
Em todas as ruas esperas´



P.S.: é plágio, mas o Patife merece

Pequena Lince disse...

Eu já te disse que não gosto de poemas???

Mas os teus são fantásticos, deixam-me sempre de sorriso na boca...

MartaP. disse...

E nasceu o Bocariny.

MartaP. disse...

E nasceu o Bocariny.

The Fine Pair disse...

:D

Um excelente 2011 para ti, Patife. Que a Força, oops! - a Foda te acompanhe sempre. ;)

Patife disse...

Calipso:
Mas olha que também dou uma bela transpiração. ;)

desejo:
Ámen. O Patife não cabe em si de contente. Já o Pacheco não cabe nas calças de potente. ;)

Pequena Lince:
Deveras? Bem... tem de se começar por algum lado. E eu gosto tanto quando começam aqui. ;)

MartaP:
Vai fazer companhia ao Bocamões e ao Bocassoa que nasceram uns meses antes. Estão nestes momento a brincar os três. ;)

Ther Fine Pair:
Ahahahahaha. Ámen girl!

oops!!! disse...

Poético, poético é a mangueira espetada até chegar às amígdalas.

Por dentro...

;)

Patife disse...

oops!!!:
Isso não é poético. É fodético, vá. Mas espetadas de amígdalas é coisa de gastronomia. Um prato sempre apetecível. ;)

Malu disse...

Não me lembro de ter visto algum dia uma bibliotecária que fosse 'comível'. Acho que todas tem cara de coruja. Mas já fodi entre as estantes de uma biblioteca. É fodástico. Essa poesia bem parece coisa de cachorro vira-lata atrás de uma cadela no cio. Me excitou.

Numenor disse...

Essa do Bocage e do Cesariny serem um só... o Bocage mandar-te-ia para o caralho, o Marinho até acharia piada à ideia... sairia algo mais gutural e arquejante, claro... mas lá está « até o barro tem poesia ».

Prefiro a tua, ainda assim. Poesia. Sem arquejos.

S.C disse...

Dificilmente abro um sorriso para algo que leio, mas você consegue. Fico imaginando: como será o fode fode patife pessoalmente?

CatarinaRaquel disse...

blog bastante engraaçado (:

Malena disse...

Oh Patife, tu cuida-te que qualquer dia o espeto desgasta-se! :P

Lili disse...

AHAHAHA
Tua arte em manipular a fodética e a sémen_tica deu uma boa põe_encima !Já pensaste em nos lamb_ler isto em voz alta, de forma a dar toda a ênfase a rect´orbita ? Deixa que a tua língua_age, a tua língua_estica, nos faça sentir melhor ainda o teu ritmo.
;) kiss

O cozinheiro solitário disse...

Olá a todos os que vão ler este comentário neste blogue ou noutro muito bom como este. Pois é, estou encantado com todos estes posts bem feitos, quase que desenhados. Pois, eu gostava de fazer igual, mas não consigo. O meu dilema agora é cozinhar… A vida é dura e obrigou-me a morar sozinho, e a cozinha não é de todo o meu local favorito. Mas estou a tentar conhecê-la, mas as aventuras têm sido imensas. Fiz um blog humilde para colocá-las em forma de crónica pouco extensas. Gostava muito que todos vocês o visitassem e se possível o seguissem. É que tentar cozinhar e depois não ser ajudado, é algo muita mau.
Cumprimentos a todos!

http://tenhosalfaltamecolher.blogspot.com/

Margarida disse...

O Patifão, como posso entrar em contacto contigo, pá? Envia-me um e-mail sff, preciso de falar contigo.

Patife disse...

Malu:
Mas olha que as há. Assim que soltam o cabelo e desapertam os botões da blusa viram felinas. ;)

Numenor:
Ser mandado para o caralho pelo próprio do Bocage seria o maior elogio que alguém me teria dirigido. ;)

S.C:
Pessoalmente o Patife é exactamente como costuma dizer nos primeiros encontros: "Sou o maior pesadelo dos teus pais". ;)

CatarinaRaquel:
Antes ser engraçado que cair na Graça, a minha vizinha de baixo, que é feia como tudo. ;)

Malena:
O espeto do Patife é anti-desgastante. É como um sabre: Vai ficando é mais afiado. ;)

Lili:
Ahahahahah. Quantas pérolas da língua portuguesa. Língua_estica é do melhor. Sémen_tica também não fica atrás. Se bem que ontem ficou mesmo atrás da gaja que afiambrei na minha casa. ;)

O cozinheiro solitário:
Não percebo nada de cozinha. É já toda a gente sabe o trocadilho que vai sair a seguir por isso fico caladinho. ;)

Margarida:
A melhor forma de entrar em contacto com o Patife é andar de vestido decotado pelo Chiado. Não falha! ;)

Mia Capgras disse...

Eu sugiro outro tema então: Hipoxifilia

Beijos sacanas*

Gata Borralheira disse...

Sabes, ainda estou para descobrir se és mais ordinarão ou não que os outros gajos que conheço. Por um lado és mesmo um grande PATIFE SEM VERGONHA, mas outro tens os colhões necessários para andar sempre a fodê-las. Os outros, sempre com conversinha da treta, a prometer mundos e fundos, e depois fodem a tipa e deixam-na ali a afundar nas suas lágrimas. Mas que raio de conclusão, admiro-te Patife :) boas entradas, que sejam muitas e em sítios variados *

Reticências disse...

Simplesmente amo isso aqui, haushauhs.
Nossa.
No meu aniversário de 15 anos ganhei um livrinho com compilações de obras de Bocage, meu livro de cabeceira.

Bjão Patife.
Feliz Ano Novo! Excelente semana.

Patife disse...

Gata Borralheira:
O Patife não gosta de fazer batota. Apresenta-se como um artista do pinanço com a inteligência emocional de um gnu e não esconde nem por um segundo que o que gosta é de ir ao cu. ;)

Reticências:
Há lá coisa melhor que as obras do Bocage para ter na mesa de cabeceira. Além de uma chicote, um par de algemas e um lubrificante de pina colada. ;)

Marisol disse...

Admiro os teus culhões.

Patife disse...

Marisol:
Acho muito bem. Que eu muito faço para que eles sejam admirados todo o santo dia. ;)