segunda-feira, 20 de fevereiro de 2012

Bocavid Mourão-Ferreira

Ontem mascarei-me de espadachim e mascarei o Pacheco de espada. Dada a mestria a manobrar o Pacheco maquilhado de espada, acho profundamente injusto que o David Mourão-Ferreira tenha sido condecorado com o grau de Grande Oficial da Ordem de Santiago da Espada. O Pacheco é que é o Grande Oficial deste Cavalheiro que vos escreve. Por isso, hoje acordei a pensar que se o Bocage e o David Mourão-Ferreira fossem um só, podiam ter criado assombros poéticos que justificassem a não entrega desta condecoração aqui ao Pacheco. E se o Bocage e o David Mourão-Ferreira fossem um só teriam certamente criado coisinhas poéticas lindas assim:

Queca Apressada

Era uma queca apressada
depois de um dia tão lento.
Era uma pachacha encarnada
aberta nesse momento.
Era uma boca fechada
sob a mordaça de um lenço.
Era afinal quase nada,
mas o nabo era imenso!

Imensa, a meita perdida
no meio do chavascal;
imensa, a picha da vida
no seu movimento imperial;
imensa, na despedida,
a estucada final.

Era uma chona emproada
pronta a receber este portento.
Era a minha picha enfiada
pronta a dar um aviamento.
Era uma chona assaltada,
por um bacamarte sedento
Era afinal quase nada,
mas o nabo era imenso!

Imensa, a boca decidida
mais parecia uma catedral;
imensa, a voz diluída
com a pressão nabal
imensa, foi toda mordida,
numa brochada fatal!

23 comentários:

desejo disse...

Sem comentários.apenas isto: ahahahahahahahah!
Belo poema.
Bom carnaval.

:)

Black Angel disse...

Do melhor!!!

Acho que vou fazer um abaixo assinado para que aqui O Patife e o Pacheco tenham direito a condecoração!!!!!
Bem que merecem!!!!

Beijos
Bom Carnaval..gozem muito..os 2

Patife disse...

desejo:
Não há carnaval sem um bom chavascal sexual. ;)

Black Angel:
Olha que bela ideia. Ainda assim sempre preferi um abaixo mamado. ;)

Anónimo disse...

npatife... com a brochada fatal (e final) é que me arrumou ;-) MUITO BOM! O DMF iria adorar (aposto...)

Bom Carnaval, cheio de c(h)onas humidas... nao gosto da palavra chona... não me desperta... ;-) prefiro tira-lhe esse h ranhoso...

Patife disse...

Anónimo:
O meu maior desejo era que uma mulher se mascarasse, toda ela, de Chona Gigante. Sempre era uma chona proporcionaol ao Pacheco. Eu gosto muito da palavra chona. Esse h faz-me rir a ajuda a encher a boca quando se diz a palavra chona. O mesmo acontece com "Pacheco". Fica a boca cheia. Mas com o Pacheco elas ficariam de qualquer das formas. ;)

desejo disse...

ahahahah! O teu comentário ao anínimo,está demias. CHONA, que prazer te dá...a ler o sorriso teu, e o que neste preciso momento esboço no meu rosto ao ler-te.

bom carn(e)aval

Anónimo disse...

entendo npatife... mas eu prefiro encher a boca com /k/ ;-) o h só minimiza o poder da cona... seca-a... não sei explicar... enfim... cada um com as suas manias...

c(h)onas à parte, o texto está delicioso!

Anónimo disse...

És um ordinarão mas tens piada e muita inteligência...

Anónimo disse...

não é das minhas rubricas favoritas, é muito rebuscado, almost boring... se quiséssemos ler poesia destes autores não viriamos aqui... antes preferia uma aventura com... uma mulher que, hum, uma versão feminina do patife!

bb

Puto Porreiro disse...

Essa tua imaginação não falha mais um grande texto/poema do grande Patife.

PP

Sairaf disse...

Que belo poema de Carnaval, onde não escapa o "movimento imperial" de uma "boca decidida" e "imperial"!!
Ahhhaha
Bons trajes carnavalescos
Abraço

Mars disse...

Concordo com o anónimo, aquele mesmo anónimo... :)

Patife disse...

desejo:
Há uma simetria fonética, quase poética, entre Pacheco, chona, pachacha e racha. Apetece logo brincar às aliterações: O Pacheco achegou-se à pachacha da xana e achou uma racha. ;)

Anónimo1:
Delicioso está o Pacheco. Foi o que acabei de ouvir após sugadela de classe superior. ;)

Anónimo2:
Ordinarice por mera ordinarice seria a marca de um falso Messias. ;)

Anónimo bb:
O que não falta por aí é blogs a falar de sexo. Ora procure lá. "Parece-me que está a procurar no local errado". O mesmo disse eu a uma moça que me estava a chupar o nariz. ;)

Puto Porreiro:
Poesia de fusão, dá tesão até mais não. Há uma facção de mulheres cujo caminho mais rápido para a sua bardanasca é através da poesia. Aprende, Puto Porreiro. Ou julgas que os livros que li foi para ser culto? ;)

Sairaf:
Imperial é um dos muitos cognomes do Pacheco. ;)

Mars:
Com corda foi a queca ontem à noite. ;)

Anónimo disse...

eheh eu não acertei no nariz, foi mais no ego :p farei o que dizes,

bb

Anónimo disse...

delicioso, npatife, delicioso.... será no dia em que retirar o h à chona....

ps.: apareça por cá mais vezes.... o gozo está tanto em si, como nas aventuras do pacheco ;-)

Kim III disse...

Em que é que te inspiras tão bem rapaz? :p

Patife disse...

Anónimo bb:
No ego é fácil de acertar. É quase tão grande como o Pacheco. ;)

Anónimo:
Há um raio de um anónimo
Que me dá cabo da mona,
Mas como sou um cavalheiro
Dedico-lhe a palavra cona. ;)

Kim III:
Na parvoíce que me alimenta a espuma dos dias, pá. ;)

Anónimo disse...

obrigada, npatife ;-) é realmente um caval(h)eiro! (vê, mais um caso onde o h só atrapalha :-)

diga lá,não gostou de teclar com força a palavrinha do prazer?....

Petra disse...

Olha lá oh seu ordinareco que tal passares da escrita a música e pegares numa guitarra e começares a cantar estas baboseiras e por aqui o video?

Patife disse...

Anónimo:
Todas as conas levam ao prazer, independentemente da forma como se escrevem. Mas nada me toca tanto como chona. Pachachona também serve. ;)

Petra:
Olha que curioso. Ainda ontem peguei na guitarra e fiz uma letra ordinareca com uma música conhecida. Não é mal pensado, não. ;

Anónimo disse...

npatife, npatife... as conas agradecem o tempo que lhe dispensaste... acredita... é muito mais excitante e húmido assim...
mas nao te quero ver forçado... se preferes chonas... fica lá com elas.... :-)

ps.: obrigada por teres voltado a este comentario, qd já tens texto novo ;-)

Malena disse...

Mordido?! Coitado do Pacheco! Levaste-o ao centro de saúde mais próximo? ;)

Patife disse...

Anónimo:
As chonas para mim, as conas para ti. Parece-me um negócio justo. Tão justo como o pacote que acabei de aviar. ;)

Malena:
De todo. Foi a moça que tive de levar ao centro de saúde com os dentes partidos. O Pacheco é mais duro que esmalte. ;)